WASHINGTON (AFP) — As primeiras 30.000 páginas da Enciclopédia da Vida (EOL) na internet, um projeto sem precedentes que busca reunir 1,8 milhão de espécies vivas conhecidas, foram apresentadas oficialmente nesta quarta-feira.

Sinal de aparente sucesso do projeto, a página www.eol.org era inacessível na metade do dia.

Lançada em maio de 2007, esta enciclopédia dará livre acesso a todos os conhecimentos atuais sobre a biodiversidade terrestre. Com isso, pretende-se preservá-la melhor frente aos riscos apresentados pelo aquecimento global e a exploração por parte dos humanos.

A criação deste índice tornou-se possível graças aos recentes avanços tecnológicos nas ferramentas de busca e de visualização da informação alcançados nos últimos cinco anos, explicaram seus criadores.

Serão necessários ainda 10 anos para criar o conjunto das páginas digitais que conterão todas as espécies vivas catalogadas há 250 anos pelos cientistas.

Mas a Enciclopédia da Vida será constantemente atualizada para incluir as novas espécies identificadas ou extintas.

Este catálogo, que mostrará o conjunto da biodiversidade que engloba o mundo animal e vegetal, poderá ser estendido depois ao universo microbiano.

Ao reunir todas as informações conhecidas sobre as aproximadamente 1,8 milhão de espécies conhecidas, a enciclopédia dará aos cientistas um instrumento que permitirá, por exemplo, estabelecer mapas dos vetores responsáveis pelas doenças humanas, revelar os mistérios da longevidade ou tornar mais lenta a propagação de espécies invasoras, acrescentou.

Fonte: AFP