A Aliança dos Povos da Floresta, composta pelas três principais redes sociais do Brasil e da Amazônia: a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), o Conselho Nacional dos Seringueiros (CNS), e o Grupo de Trabalho Amazônico (GTA), vem de publico desmentir a nota publicada no dia 18 de Junho de 2007 pela Agencia Brasil cujo tema era: ONGs querem dinheiro por obras das usinas do Madeira.

Reafirmamos que nunca nos posicionamos desta maneira e repudiamos a forma como a matéria trata um encontro que tem um caráter histórico de articulação das lutas dos povos das florestas como um encontro caça níquel. O PAC Socioambiental proposto para ser discutido no II Encontro Nacional dos Povos das Florestas não deve ser confundido com o PAC lançado no início do ano pelo governo federal. Com esse programa, queremos dar às comunidades da floresta acesso mais rápido a saúde, educação, infra-estrutura básica, saneamento, água potável ,ou seja, inclusão social. Esses direitos, são constitucionais e ainda não foram garantidos: Não é possível que nós, no século 21, ainda estejamos vivendo em comunidades iluminadas por lamparinas, como no século 19.

Mais uma vez a mídia Brasileira distorce palavras e tenta confundir o leitor. Fatos como esse tem sido corriqueiros no dia a dia da imprensa do Brasil.

Por fim, reafirmamos com toda a força das letras a posição da Aliança frente às obras propostas do Complexo Madeira. Somos contra estas obras por entender que ela só trará prejuízos socioambientais para a Amazônia, além de reforçar esse modelo que coloca a Amazônia como mero exportador de Matéria prima. E com este modelo nós não concordamos. A nossa luta de mais de 20 anos mostra que modelos como este não dão certo e acentuam o empobrecimento de nossas comunidades e não contribuem para o equilíbrio climático de nosso planeta. Não queremos compensação, o que nós queremos e lutamos é que as obras propostas para o Madeira não sejam feitas!

Adilson Vieira
Secretário Executivo da Aliança dos Povos da Floresta

Beto Cantanhede
Presidente do GTA

Jecinaldo Barbosa
Coordenador Geral da Coiab

Joaquim Belo
Secretário Geral CNS

Fonte: Aliança dos Povos da Floresta