Governo do Amazonas transforma o homem que zela a floresta em parceiro do processo de desenvolvimento sustentável da região.

Trabalhando agendas positivas para preparar o Estado para o futuro, o  governador Eduardo Braga (PMDB/AM) sanciona na terça-feira, 05 às 10 horas, no Centro Cultural do Povos da Amazônia, duas leis que vão  colocar o Amazonas na vanguarda da relação homem-natureza: uma sobre mudanças climáticas e outra que trata das unidades de conservação. Logo depois participa do lançamento do Movimento Nacional Sócio-Ambiental do PMDB Brasileiro, na Assembléia Legislativa do Estado (ALE), juntamente com o presidente da legenda, senador Michel Temer, e outras autoridades.

Novos conceitos

A iniciativa do governo amazonense cria um novo conceito no que diz respeito à relação do homem com a natureza e fortalece a construção de um modelo de desenvolvimento capaz de proporcionar uma vida melhor para quem vive nos lugares mais distantes dos centros urbanos, sem degradar a natureza.

As novas leis consolidam o compromisso do Amazonas com os seus povos, a floresta, a evolução tecnológica e o bem-estar do planeta. Criam, também,  mecanismos fiscais e financeiros para incentivar a redução dos impactos ambientais no Amazonas e estabelecem caminhos e facilidades para que as empresas reduzam suas emissões de CO2 e façam a compensação deste impacto (carbo-neutralização).
Além disso, obrigam o próprio Estado, que também trabalha pelo  desmatamento zero e pela implantação do Bolsa Floresta – para assegurar uma renda mínima aos moradores das unidades de conservação -, a dar o exemplo quanto à redução de suas emissões de CO2.

O movimento peemedebista,  inegavelmente, também tem grande relevância na medida em que mobilizará os quase 300 prefeitos da legenda em todo o país e demais representantes nas câmaras municipais, assembléias legislativas e Congresso Nacional em torno de uma questão programática importante, que tem por objetivo discutir e criar leis sobre mudanças climáticas e contribuir, de forma mais efetiva, para a construção de um mundo melhor para todos.

Nós estamos criando no dia 5 duas leis que vão, finalmente, poder estruturar o que nós chamamos de produto ambiental e serviço ambiental, explica Braga, lembrando que a iniciativa também vai possibilitar o estabelecimento do desafio do desmatamento zero dentro das unidades de conservação do Amazonas, envolvendo a população que vive dentro e em volta das comunidades. Essas iniciativas vão dar resultados importantes para o Amazonas, o Brasil e o mundo, argumenta o governador, apontando a necessidade de se estabelecer um amplo debate nacional em torno das questões ambientais, para que se possa preparar o Brasil para o futuro.

Fonte: WMF