amz.jpg

Começa hoje nova fase da minissérie ‘Amazônia’

Agência Estado

 

A minissérie Amazônia pula da belle époque para a 2ª Guerra Mundial a partir de hoje à noite. Nesta fase, os seringais entram em decadência por causa do cultivo da árvore na Ásia, mas Rio Branco cresce e se divide. É uma nova fase para a minissérie (que de tão longa nem parece tão ‘mini’ assim) criada pela autora Glória Perez.

Neste cenário vivem o poeta Juvenal Antunes (papel de Diogo Vilela), a seringueira Anália (Letícia Spiller), o guarda-livros Conrado (Pedro Paulo Rangel), a governanta Donana (Jandira Martins) e o líder do Santo Daime, Raimundo Inácio (interpretado por Milton Gonçalves).

Da primeira fase de Amazônia – De Galvez a Chico Mendes, permanecem apenas alguns personagens/atores: Beatriz (Débora Bloch, cuja personagem, mais tarde na vida, passa a ser interpretada por Irene Ravache), Justine (Lena Cavalli/Zezé Polessa), Bento (Tiago Batista/ Emílio Orciolo), Augusto (Ronaldo Dappes/Humberto Martins).

Maquiagem pesada

Padre José (Antônio Calloni) e Ritinha (Brenda Haddad) continuam com os mesmos atores e José de Abreu vai surgir em somente uma cena, morrendo aos 90 anos de idade. A cena, bastante importante para a trama da minissérie, recebeu tratamento especial por parte da produção da Globo: José de Abreu surgirá utilizando uma maquiagem especial para simular um envelhecimento cenográfico.

“Esses personagens ligarão Galvez a Chico Mendes”, explicou a autora Gloria Perez.

Esta fase deve durar oito capítulos e teve o jornalista Armando Nogueira como consultor, pois era adolescente no Acre dos anos 40. Quem está esperando pelo seringueiro Chico Mendes vai ter que aguardar mais um pouco: o personagem só aparece na última semana, em abril, representado pelo ator Cássio Gabus Mendes.

 

in ComuniWeb