indio-fabiopozzembomabr.jpgCARACAS – Uma expedição espanhola liderada pela cronista Teresa Aguilar e pelo fotógrafo Carlos Díez Polanco adentrou hoje na floresta amazônica, saindo da cidade venezuelana de Puerto Ayacucho para fazer uma “redescoberta indígena” que deve levar 150 dias. O casal se dirige ao coração de um mundo que, segundo disse Pablo Doberti, diretor da Editora Santillana

A meta inicial é chegar à Feira de Frankfurt de outubro com “um volume que poderia ser chamado de artístico” da expedição, disse. O objetivo mais importante, porém, é criar uma obra para a biblioteca escolar no ano letivo 2007-08 e outra para a biblioteca da família da Venezuela.

As comunidades baniva, baré, kurripako, piapoko, werequena, hoti, jiwi, mako, piaroa, puinave, sánema, wanai, yanomami, yawarana, yekuana e yeral receberão a visita de Aguilar e Polanco. Teresa Aguilar partiu confiante em receber dos “que amam e respeitam a natureza” presentes para compartilhar com aqueles que “se dizem civilizados e estão sujando o nosso planeta”. Em troca ela assume o compromisso de voltar depois às comunidades visitadas com os livros resultantes da expedição. Antes da segunda fase da viagem, em maio, o casal passará alguns dias em São Paulo, para apresnetar o livro ‘Escolas Felizes’.

Fonte: G1
in Notícias 24 Horas