(Kaxiana) – Felizmente, parece que só vai dar Amazônia este ano no Brasil. Depois da minissérie “Amazônia – De Galvez a Chico Mendes”, da TV Globo, e da Campanha da Fraternidade de 2007, que considera a Amazônia como “berço generoso da vida”, a região está levando quase tudo que é prêmio nacional.

Não deu outra na primeira edição do “Prêmio Brasil de Meio Ambiente”, promovido pelo Jornal do Brasil e pela revista JB Ecológico em parcerias com A Gazeta Mercantil e a revista Forbes Brasil, numa demonstração que a Amazônia começa a despertar, enfim, o interesse da mídia nacional. Uma atenção restrita antes apenas à imprensa internacional, que foi quem efetivamente deu ouvidos a Chico Mendes em sua luta pela preservação da maior floresta tropical do planeta.

O grande vencedor do primeiro prêmio significativo da mídia nacional em favor do meio ambiente, cuja solenidade de premiação se dará no dia 29 deste mês, no Copacabana Palace, Rio de Janeiro, foi o geógrafo e pesquisador Aziz Ab’Saber, 82 anos, ex-presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). Ele foi premiado como “Personalidade Brasil” por ser um dos autores do famoso Projeto Floram, um gigantesco reflorestamento na Amazônia.

Idealizado em 1988, no Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (USP), o Projeto Floram teve como objetivo implantar florestas em cerca de 14 milhões de hectares na Amazônia, como ponta-de-lança indutora de florestamentos paralelos em escala global para assim diminuir o nível de porcentagem de gás carbônico (CO2) na atmosfera e retardar as mudanças climáticas provocadas (já hoje) pelo efeito estufa até o tempo necessário para se completar os estudos que visem à substituição total dos combustíveis fósseis no mundo.

Na categoria Melhor Empresa na área ambiental ganhou O Boticário e, como Melhor Empresário, Fábio Barbosa, diretor-presidente do Banco Real ABN/AMRO. “Trata-se de um prêmio com uma grande abrangência, muito bem conceituado e validado pelos critérios, instituições e pessoas envolvidas. O resultado poder mensurado pela diversidade geográfica e qualidade dos premiados“, avalia o superintendente de marketing institucional, Sérgio Queiroz.

Homenagens especiais
O Prêmio Brasil de Meio Ambiente deu o Destaque Federal ao “Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal”, do Ministério do Meio Ambiente. Por dois anos consecutivos, esse plano fez o Governo Lula reduzir em 30% os índices de desflorestamento. Já o Destaque Estadual, vencedor como modelo de gestão pública para o país, ficou com o “Programa de Despoluição do Rio das Velhas – Meta 2010”, da Secretaria de Planejamento e Gestão de Minas Gerais (Seplag), desenvolvido em articulação com o Comitê de Bacia e apoio operacional da Companhia Estadual de Saneamento (Copasa).

O Destaque Municipal do prêmio do JB foi dado ao “Projeto Legal”, da Prefeitura Municipal de Lucas do Rio Verde (MT). Em parceria com empresas, fazendeiros, agricultores e ONGs ambientais, obriga todas as propriedades rurais a regularizarem suas reservas legais e áreas de preservação, antecipando o zoneamento econômico-ecológico do município, com 365 mil hectares. E o Destaque do Terceiro Setor foi para o “Projeto Baleia Franca”, de Santa Catarina.

Vencedores das categorias técnicas
Os vencedores como Melhores Trabalhos nas categorias técnicas foram Indústrias Nucleares do Brasil (RJ), na categoria Flora e Fauna; Eletrosul (SP), em Eficiência Energética; Osório (RS), Âmbito Municipal; Ecodamata (RJ), Água; Saga Publicidade (AM), Campanha de Comunicação para o Projeto Zona Verde do Governo do Amazonas; DRM-RJ, Âmbito Estadual; BS Colway (PR), Resíduos; e Onda Verde (PR), em Educação Ambiental.

in Kaxiana