Um índio da etnia tikuna de cerca de 25 anos, que estava embaixo de um palanque onde o governador Eduardo Braga (PMDB), candidato à reeleição, discursava no dia 15, está paraplégico. O palanque em Benjamim Constant, a 1.126 quilômetros de Manaus, onde Braga e o candidato ao senado Gilberto Mestrinho (PMDB) caiu ferindo os dois e outras quatro pessoas. O governador fraturou o pé esquerdo.

Em algumas etnias, o fato de um indígena ter uma doença irreversível nos membros, como paralisia, é considerado como um critério de exclusão da tribo. A assessoria da Susam informou que o tratamento de saúde do indígena será feito em Manaus, mas depois ele deverá ser enviado à comunidade onde vive. [ler]

in Estadão