Os Kanamari se denominam Tâkâna, que quer dizer gente ou pessoa, e vivem na região sudoeste do estado do Amazonas.

Sua língua pertence à família Katukina. Os Kanamari praticam basicamente atividades de subsistência, como caça, pesca, coleta e agricultura.

Os Kanamari permaneceram praticamente isolados até a segunda metade do século 19, quando as frentes extrativistas penetraram nos rios Juruá e Jutai e regiões limítrofes. Os índios acabaram integrados ao sistema extrativista, através de relações de “aviamento”, submetidos a patrões de seringal, marreteiros e outros exploradores.

A OPAN iniciou seus trabalhos junto aos Kanamari em 1979, com alguns grupos locais no alto rio Jutai, afluente do rio Solimões. Dali, estendeu posteriormente, sua ação para o rio Juruá, mais próximo à cidade de Eirunepé (AM), onde hoje está a sede do Projeto.

Nos primeiros anos, priorizou-se o atendimento à saúde, o estudo da língua e da cultura e a formação de educadores. Em 1984, a Equipe participou diretamente da identificação da Área Indígena Kanamari do Rio Juruá, hoje demarcada com 596.433,64 hectares, localizada nos municípios de Eirunepé, Envira e Itamarati.

Na década de 90 promoveu-se, em parceria com a MIMEKA (Missão Metodista junto aos Kanamari), um extenso programa de formação de educadores e agentes indígenas de saúde. Atualmente o Estado do Amazonas, através da Secretaria de Educação, deu seguimento à formação de professores Kulina, Kanamari e Deni.

A partir de 1999, o Projeto Kanamari tem enfatizado a garantia das terras indígenas já demarcadas, as áreas Kanamari do Rio Juruá, Kanamari do Mawetek e Vale do Javari.

Para isto, a OPAN assumiu a execução do programa de fiscalização e vigilância proposto pelo PPTAL – Programa Integrado de Proteção à Populações e Terras Indígenas da Amazônia Legal. Suas ações estão voltadas para a capacitação e formação das próprias comunidades na defesa de seu território e a fiscalização permanente dos limites das terras indígenas, com o objetivo de resguardar sua integridade e o potencial dos recursos naturais existentes.

Fonte: Opan