A seca recorde de 2005, que deixou partes da Amazônia em estado de calamidade, não foi um evento extremo isolado e sim uma amostra do que o futuro reserva para o clima da região. A conclusão é de pesquisadores do Inpe e do Escritório de Meteorologia britânico, em Exeter. Modelos climáticos em computador construídos pelo grupo sugerem que o evento do ano passado, cuja origem está em um aquecimento anormal das águas do Atlântico, tende a se repetir nas próximas décadas.